Lucro da empresa: como calcular e saber se é lucrativa?

Semyonova Solpav
Semyonova Solpav 15 Min Read
15 Min Read

Um dos objetivos de uma empresa é o de obter lucro, afinal, é por meio dele que é possível dar continuidade aos próximos projetos, reinvestir na companhia e claro, trazer dinheiro para o comandante.

Porém, quais são os cálculos e demais questões que devem ser observados para verificar se realmente a organização está sendo lucrativa, ou, o mais temido: dando prejuízo?

Confira abaixo mais sobre como funciona essa questão e desenvolva sua observação!

O que é o lucro da empresa?
O lucro é todo aquele valor que é recebido derivado de uma venda de produto ou serviço, mas, depois da redução de todos os gastos que devem ser aplicados.

Porém, é preciso compreender demais fatores ao invés de apenas realizar essa conta, como é o caso da saúde financeira da empresa.

Assim, empresas que estão trabalhando no vermelho possuem menores chances de crescimento, ou seja, a maior parte do dinheiro que é recebido, será destinado para o “apagar incêndios”;

Além disso, é preciso saber mais precisamente sobre a diferença entre o luco normal, e o econômico. Confira:

Lucro normal: valor que um negócio precisa receber para que continue sem demais problemas, ou seja, o mínimo para que não fique desorganizado ou no vermelho;
Lucro econômico: aqui é considerado a quantia excedente, o que é tudo aquilo que sobra logo depois do pagamento de todas as despesas, até mesmo o lucro normal.

Esses são alguns dos passos iniciais para compreender com mais facilidade e objetividade do que se trata o tão famoso e dito lucro.

Qual é a importância da lucratividade?
É a lucratividade que te mostra mais sobre como está a saúde financeira de seu negócio, apontando assim para a qualidade operacional de sua empresa.

Assim, se você quer saber se está no caminho do sucesso, do equilíbrio ou até mesmo com problemas, é o lucro que te mostrará essa informação com mais precisão.

Nenhuma empresa terá sucesso se estiver estagnada no crescimento, portanto, entender mais sobre o lucro é um dos primeiros passos que devem ser analisados.

Qual a diferença entre lucro, rentabilidade e lucratividade?
Mesmo que todos eles pareçam iguais entre si, é importante compreender com mais atenção e cuidado o que cada um quer dizer.

Lucro: de uma forma simples, o lucro é o valor resultante positivo de vendas e retirada de despesas;
Lucratividade: indica quanto realmente um negócio ganhou em relação a tudo o que foi recebido, demonstrando assim a margem de lucro líquida. Ou seja, é o valor que sobra depois da redução de custos e demais despesas ali aplicados;
Rentabilidade: já essa questão é quando falamos sobre um investimento inicial e qual foi a quantia de retorno proporcionada a empresa. Uma maneira mais fácil de entender é sobre quanto se obteve desde o início da abertura da empresa, até certo período;
Ficou mais fácil e simples de compreender, certo?

Como calcular o lucro da empresa?
Quer saber como realizar o cálculo de lucros dentro de sua empresa? Confira abaixo um passo a passo completo e aplique dentro de sua companhia o quanto antes!

Primeiramente, é preciso ter todos os dados citados abaixo disponíveis:

  • Quantia total gasta com despesas fixas;
  • Quantia total gasta com despesas variáveis;
  • Quantia total de vendas;
  • Valores e custos precisos para que a prestação de serviço com os clientes aconteça;
  • Valores para aquisição ou para fabricar os itens que serão vendidos.

Dessa forma, é preciso que todo o acompanhamento seja de forma próxima e constante, além de ter especialistas no assunto prontos para compreender o cálculo como um todo.

Além disso, compreenda o que é lucro bruto e líquido para facilitar e direcionar os cálculos que serão desenvolvidos, que são:

Lucro bruto: É o valor total tirando a receita total e o custo variável. Por exemplo, se você vende uma bala por R$10, porém o valor de revenda é de R$5, o lucro bruto final é de R$5;
Lucro líquido: aqui são considerados os valores variáveis e os fixos, ou seja, tudo aquilo que precisa ser pago para que a empresa continue rodando. Nesse caso, se uma empresa vendeu R$10 mil e tem custo de comissão e demais despesas de R$3 mil, possui lucro líquido de R$7 mil.

Assim, basta aplicar a fórmula mais condizente: tanto de lucro bruto ou de lucro líquido, que são:

Lucro bruto = Receitas totais – Custos variáveis;
Lucro líquido = Receita total – Custo total.
Portanto, encontre aquele que mais precisa para determinado assunto dentro de sua empresa e faça essa conta para entender mais sobre o cenário atual.

Dicas para ter a margem de lucro ideal
Confira abaixo algumas dicas para que você possa ter uma margem de lucro ideal para seu negócio e comece a aplicar o quanto antes dentro de sua companhia:

Aplique o preço correto: entenda qual é o tipo de seu negócio e o segmento de mercado em que está atuando, compreendendo qual é a margem de lucro que deve ser aplicada;
Saiba seus custos e despesas: tenha noção sobre o custo e as despesas que estão embutidas em todos as atuações de sua empresa, desde o material usado, mão de obra e produção;
Observe as receitas recorrentes: tenha foco naquilo que pode ser inovador em seu negócio, investindo em fidelização e na previsibilidade da receita. Lembre que seu cliente está comprando uma experiência e em um cenário ideal, voltará a comprar com você no futuro.
Inclua isso na rotina de sua empresa e tenha o foco em sempre expandir o ramo e nicho de atuação de seu negócio.

Quais são os tipos de lucro?
Engana-se quem pensa que esses são os únicos tipos de lucros existentes! Na verdade, existem tantos outros.

Confira quais são eles abaixo:

Lucro bruto
O lucro bruto é aquela quantia que sobra após a redução dos custos diretos do valor obtido, conhecidos também como os valores que estão atrelados a produção do item ou do serviço.

Aqui, ainda não são aplicados os valores indiretos.

Lucro líquido
Já o lucro líquido é sobre aquilo que sobra após todos os valores serem descontados referentes as despesas, sejam elas diretas ou indiretas.

Ou seja, nada mais é do que o lucro de verdade que a empresa terá.

Lucro presumido
O presumido é aquele em que se “deduz” qual será o valor de lucro pela empresa, sendo muito usado para encaixá-la dentro de um regime tributário.

Assim, a empresa escolherá seu lucro presumido, e, pagará o imposto que é calculado em cima dessa quantia determinada.

Lucro real
Enquanto isso, o lucro real é o valor que se existe após a redução de todas as despesas, onde o imposto é calculado diante daquilo que a empresa realmente lucrou.

Lucro cessante
Por fim, o lucro cessante é aquele que o comandante não possui no final das contas por algum motivo que impediu que a ação que gerem lucros, acontecesse.

Um exemplo simples é quanto um maquinário quebra ou o vendedor está doente, sendo assim, considerado como um lucro cessante, ou seja, aquilo que não está sendo vendido.

O que é a margem de lucro?
A margem de lucro é a quantidade de porcentagem da qual é acrescentada aos custos total, seja de um serviço ou de um produto, onde no final, se terá o valor definido para a comercialização.

Assim, sabe-se qual será a porcentagem exata de lucro em que a companhia obterá diante daquela venda.

Por fim, têm-se a definição de margem de lucro com a obtenção dos custos e quanto se terá de lucro da empresa em cada compra efetivada.

Qual deve ser o lucro de uma empresa?
Essa é uma questão que vai ser diferente de acordo com cada empresa em questão.

Mas, para saber qual é a margem ideal do seu negócio, basta entender melhor sobre qual é a margem de lucro necessária. Nesse caso, acompanhe a seguir o que deve-se ter em mente:

Despesas e custos
O custo é a quantia gasta para produzir os serviços ou produtos da empresa, como é o caso da matéria prima, mão de obra e mais.

Enquanto isso, as despesas são os valores gastos diretamente a administração da empresa de forma geral, mas, que nem sempre estão ligados a produção do item, como é o caso do valor do aluguel, papelaria e tantos outros.

Preço de venda
Aqui, deve ser precificado a quantia do item, assim, o preço será determinado levando em consideração o custo de produção e aquisição, a quantia da margem de lucro que está prevista, poder aquisitivo e o público alvo.

Além disso, deve-se pensar diretamente no concorrente e no que está sendo oferecido pelo mesmo.

Lucro
O tão famoso lucro entra na fase final, onde devem ser reduzidos todos os custos de produção, assim, essa quantia obtida diante da comercialização ou da prestação de serviço.

Assim, deve-se saber o que é:

Receita total: a quantia multiplicada pelo preço que foi vendido o item ou serviço, e a quantidade de venda que foi registrada;
Margem de lucro: indica quanto a empresa possui de ganho diante dos serviços e produtos que foram oferecidos.
Depois de calcular todas essas questões, você terá a quantia final obrigatória para que sua empresa continue existindo mesmo que de forma mínima.

Quando a empresa começa a dar lucro?
Não há uma resposta exata para essa questão, visto que há a dependência de muitos fatores e consequências, seja por parte interna ou externa do negócio.

Muitas empresas não conseguem obter lucro nunca, enquanto outras possuem esse retorno quanto menos se espera, principalmente pela presença de um planejamento preciso.

Geralmente são necessários alguns anos ou até anos para que o retorno seja positivo, portanto, tudo dependerá do que está sendo feito no momento atual, visando o futuro.

Quanto posso tirar de lucro da minha empresa?
Quer saber qual é a quantia indicada que você, comandante, pode retirar de sua empresa enquanto está se obtendo lucro?

Como saber se empresa é lucrativa?
Existem três questões que devem ser observadas para saber se uma empresa é lucrativa. Nesse caso, é preciso compreender:

Faturamento real: é preciso entender a quantia bruta antes do desconto de pagamentos e demais despesas, obtendo o montante líquido de caixa;
Despesas: agora é preciso organizar todas as contas para que não se opere no vermelho, dessa forma, é preciso que o fluxo de caixa esteja em dia para eventuais consultas;
Lucro: por fim, é preciso calcular o valor de lucro por meio da fórmula de subtração dos custos operacionais e receitas obtidas, gerando assim, a quantidade de dinheiro positivo do negócio. Se o resultado for negativo, ainda não há rentabilidade, enquanto se for positivo, você está no caminho correto!

Empresa não dá lucro: e agora?
Mas afinal, o que fazer caso a empresa não esteja gerando lucro? Primeiramente, é preciso ter uma análise completa do cenário financeiro, de produto e de vendas.

Depois disso, muitas pessoas costumam procurar pelo auxílio externo como consultorias, empresas especializadas e demais possibilidades.

Uma das melhores opções é conhecer o programa EAG, onde por meio de um método desenvolvido em 6 pilares únicos, tiramos sua empresa do caos e no caminho da lucratividade sem demais problemas.

Como aumentar lucro da empresa
E o que deve ser feito para aumentar o lucro da empresa, caso ela esteja em um cenário positivo, porém, não tão confortável?

Nesse caso, também é indicado realizar um estudo completo sobre quais devem ser os próximos passos adotados dentro de sua companhia, visando o aumento da lucratividade e quantias associadas.

Como já dito anteriormente, pode ser que o que você está precisando é o programa EAG e nem faz ideia! Por isso, não deixe de entrar em contato com nossos especialistas e entender mais sobre como funciona.

Tenha uma vida empresarial muito mais operacional, com o negócio destinado a dar certo e claro, o lado pessoal sem caos, com qualidade e muito mais tempo para si mesmo!

Compartilhe esse artigo
Deixe um comentário