Preferência por ônibus aumenta entre os viajantes; saiba como economizar

Semyonova Solpav
Semyonova Solpav 4 Min Read
4 Min Read

Em meio à alta de preços das passagens aéreas, mais pessoas têm preferido o ônibus na hora de escolher o meio de transporte para viajar. O movimento crescente nas rodoviárias se deve aos preços mais baixos, que atraem os usuários e acabam compensando o tempo maior nas estradas. Para quem consegue comprar com antecedência, a economia é maior ainda.

Foi o que ocorreu com o jornalista Hugo Fernando dos Santos, de 30 anos, que mora em Belo Horizonte e vai visitar a família em Aracaju (SE) no fim deste ano. Ele estava esperando uma passagem aérea em promoção e deixou a compra para a última hora. Para ir, em 5 de dezembro, o preço do ônibus compensou mais: R$ 259. “Eu deixei para comprar muito em cima, mas não apareceu nada interessante. Os preços para ônibus estavam 70% mais baixos”, resume ele, que acredita ter condição física para viajar de ônibus tranquilamente.

Já no caso da volta, em 26 de dezembro, três semanas depois, compensou pagar os R$ 570 cobrados pelo bilhete aéreo, porque a compra foi com alguma antecedência. Então Hugo não vai precisar enfrentar de novo as 26 horas de estrada em um ônibus.

Incremento
A expectativa da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati) é que a alta temporada, entre o fim de 2022 e começo de 2023, tenha movimento 30% maior do que em 2019, antes da pandemia de Covid.

“A gente tem rota (rodoviária) que está 89% mais barata do que no avião”, explicou Letícia Pineschi, que é conselheira e porta-voz da entidade.

Regras

Preços de passagens interestaduais variam de acordo com o mercado. Já os cobrados por viagens entre cidades são predeterminados, pois as concessões dadas por Estados às empresas fixam os valores.

Startup

Com modelo totalmente digital, algumas startups ofertam passagens mais baratas. É o caso da brasileira Wemobi e da alemã Flixbus. Elas atuam em mais de 15 cidades do país, inclusive em BH.

Cancelamento

Viagens entre Estados e países podem ser canceladas com até três horas de antecedência. Já entre cidades de Minas, até 12 horas antes do embarque. O usuário tem direito a reembolso ou remarcação nos dois casos.

Site em alta

Meios digitais, como sites e aplicativos, foram os preferidos por 53% dos viajantes para adquirir os bilhetes de viagens, segundo pesquisa feita pela Abrati em setembro. O índice apresenta crescimento em relação a 2021, quando 60% dos compradores preferiam fazer as compras pelos guichês.

Fretamento colaborativo
Empresas de fretamento colaborativo têm recebido um público crescente. Na prática, a empresa reúne pessoas que desejam fazer a mesma viagem e divide o valor do fretamento do ônibus entre elas, o que permite oferecer preços menores do que as tradicionais. Viajar de BH a São Paulo, por exemplo, em 23 de dezembro deste ano, custaria até R$ 80 pela Buser, bem menos que os R$ 125 cobrados por empresas tradicionais, em média.

O aumento de clientes na Buser tem sido significativo em Minas, Estado que concentra 40% do movimento nacional da plataforma. Entre setembro e outubro deste ano, cerca de 360 mil passageiros viajaram pela Buser no Estado, 20% mais que no mesmo período de 2021.

Apesar de o modelo já ter sido suspenso por decisões judiciais, a operação da empresa está autorizada em Minas.

 

Compartilhe esse artigo
Deixe um comentário