Gripe Aviária: SP adota medidas de prevenção da doença

Semyonova Solpav
Semyonova Solpav 3 Min Read
3 Min Read

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA) através de sua Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA) por meio do seu Programa Estadual de Sanidade Avícola (PESA) vem realizando atividades de vigilância ativa para Influenza Aviária em todo o estado de São Paulo.

Na semana de 15 a 19 de maio, foi realizada uma nova incursão no complexo estuarino-lagunar de Cananéia – Iguape – Ilha Comprida, sendo percorridos mais de 80 km de praias, realizando colheitas de amostras de aves de vida livre e sendo observadas 520 aves para verificação de existência de sintomatologia compatível com a Influenza Aviária de Alta Patogenicidade.

Na ocasião também foram fiscalizadas 32 residências com presença de criações de aves de subsistência, sendo amostradas 235 aves para pesquisa de existência de circulação do vírus da Influenza aviária.

O PESA estabeleceu estreita relação de cooperação com os Projetos de Monitoramentos de Praias, através de sua coordenação geral, sendo realizadas trocas de informações diárias sobre a situação nas praias paulistas, no tocante ao aparecimento de aves mortas e ou com sintomas.

Foram estabelecidas nos mesmo moldes, parcerias com a Fundação Florestal / Coordenadoria de Parques e Parcerias / Instituto de Pesquisas Ambientais (IPA) / Coordenadoria de Fauna Silvestre (CFS) da Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística do Estado de São Paulo, o que abrange a vigilância para todo o Estado.

Os eventos com aglomerações de aves seguem proibidos no Estado de São Paulo, de acordo com a Portaria MAPA nº 572/2023.

A existência de casos suspeitos de Síndromes Respiratórias e Nervosas das Aves é comum, não é específica para esta época em questão, sendo que em sua totalidade, estas são sempre investigadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos previamente.

Não existe no momento suspeita para Influenza Aviária de Alta Patogenicidade no Estado de São Paulo, que esteja em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária (LFDA/SP), ou mesmo com resultado positivo emitido para Influenza Aviária, com isso o Estado não deve no momento adotar nenhuma medida sanitária emergencial.

As aves silvestres de vida livre são também vítimas da influenza aviaria de alta patogenicidade e toda suspeita deve ser notificada ao serviço veterinário oficial ([email protected] ou https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/enderecos).

A Defesa Agropecuária informa ainda, que não existe qualquer restrição ao consumo de ovos e carne de aves em razão dos focos existentes no Brasil.

“Além disso, a CDA continua contando com o apoio de produtores, responsáveis técnicos e demais profissionais da avicultura que seguem mantendo e intensificando as medidas de biosseguridade, para que a doença permaneça longe dos plantéis comerciais”, diz Luís Fernando Bianco, coordenador da CDA.

Com relação à publicação da Portaria MAPA nº 587/2023, a mesma é específica para a esfera federal.

Compartilhe esse artigo
Deixe um comentário